Sem crise: carreiras da Engenharia Mecânica se mantêm em alta

Assessoria UniToledo

meca3

meca2

meca1

Na região de Araçatuba, os setores industriais que se destacam são: alimentício, celulose, papel e sucroalcooleiro.

 

Mesmo em meio à crise econômica que o país enfrenta, o mercado se mantém aquecido e promissor para os Engenheiros Mecânicos. Isto, pois trata-se de uma profissão que é requisitada na maioria das indústrias e ainda permite a flexibilidade de desenvolver projetos como autônomo e na prestação de consultorias às empresas. Mas em qual área atuar?

Segundo o coordenador do curso de Engenharia Mecânica do UniToledo, Lucas Scarpin, o Engenheiro Mecânico pode atuar em indústrias de diversos segmentos, como de aeronaves, alimentos, automóveis, celulose, eletrodomésticos, metalurgia, mineração, naval, papel, petróleo, têxtil, sucroalcooleiro, dentre outros.

“Além disso, podemos trabalhar no setor de instalações, envolvendo a geração de energia, refrigeração e climatização, também em institutos e centros de pesquisa, e prestar consultorias em diversas áreas”, explica.

Com relação à remuneração, o piso salarial para o profissional que trabalha oito horas por dia está em torno de 8,5 salários mínimos. O professor revela que na região de Araçatuba, os setores industriais que se destacam são: alimentício, celulose, papel e sucroalcooleiro.

“Podemos também atuar empresas voltadas à consultoria e ao desenvolvimento de projetos específicos para as indústrias, envolvendo a instalação e manutenção de máquinas e equipamentos”.

PERFIL
Para quem sonha em se tornar um Engenheiro Mecânico, o coordenador orienta que é preciso conhecimento e ética. “Primordialmente, o engenheiro precisa sempre ser curioso e criativo, e, além disso, atuar com ética, honestidade, respeito e humildade. Um bom profissional deve sempre aprimorar seu conhecimento, participando de palestras, especializações e cursos de pós-graduação”.