A todo vapor: mercado se mantém aquecido para a Gastronomia

Assessoria UniToledo

gastro3

 

Empreender nesta área também é um grande negócio para as pessoas que tem vocação na área da alimentação.

Empreender nesta área também é um grande negócio para as pessoas que tem vocação na área da alimentação.

O mercado de alimentação fora do lar cresce percentualmente a cada ano, independentemente dos momentos de crise. Com esse avanço promissor, o profissional da área de gastronomia ganha notoriedade e empregabilidade. Os empreendimentos no ramo da alimentação cada vez mais se especializam e diversificam seu negócio e o gastrônomo é o profissional mais apto para implantar, gerir e operacionalizar as empresas desse segmento.

Segundo o coordenador do curso de Gastronomia do UniToledo, Helerson Balderramas, empreender nesta área também é um grande negócio para as pessoas que tem vocação na área da alimentação. “Esse tipo de empreendimento proporciona a sociedade desenvolvimento econômico, social e cultural, afinal a gastronomia vai além da refeição trivial, apresenta aos comensais sabores, histórias e técnicas internacionais da cultura alimentar de todos os povos”, explica.

O professor explica que o individuo para obter destaque na área, precisa ter aptidão para prestação de serviços de alimentação, ser hospitaleiro no atendimento, liderança de equipes, organização, disciplina e gerenciamento do tempo, boas práticas de higienização e manuseio de alimentos, ter responsabilidade e disponibilidade para longa jornada de trabalho inclusive feriados e final de semana.

“É importante também ter interesse e curiosidade na busca de conhecimento sobre hábitos alimentares diferentes de sua própria cultura alimentar”, completa.

CURSO
De acordo com o docente, o diferencial do curso superior de Tecnologia em Gastronomia do Centro Universitário Toledo está conjugado em várias frentes do saber. “Primeiramente temos uma formação coerente com a exigência do mercado de trabalho; um corpo docente especializado na área da gastronomia e no ensino teórico-prático com laboratórios equipados com alta tecnologia para produção gastronômica; e a cada semestre o aluno encerra um ciclo de disciplinas que compõem uma certificação direcionada ao mercado de trabalho”.

Conforme o professor, o aluno ainda pode esperar um curso dinâmico e prático, e um aprendizado repleto de conhecimento cultural e técnico aplicado. “Visitas técnicas, participação em eventos, degustações, novos experiências gastronômicas”, resume.