Solidariedade atinge marca histórica de união nos JUT 2017; saiba como participar das ações

Design UniToledo

SITEJUT

Solidariedade, humanização e empatia são características que marcam o DNA da Família UniToledo. Com a aproximação dos Jogos Universitários UniToledo, os JUT 2017, a comunidade acadêmica vem se reunindo e organizando para promover ações solidárias motivados pelas integração, união e espírito de equipe que o campeonato proporciona.

Os jogos serão realizados entre os dias 17 e 20 de abril de 2017, mas as ações vêm sendo realizadas efetivamente há aproximadamente um mês, contando com parcerias entre os cursos para a arrecadação desde agasalhos até alimentos.

De acordo com coordenador do curso de Educação Física, Rodrigo Detone, maior que a competição, é o espírito de equipe que se cria entre os cursos e o ambiente que dá início e fortalece laços de amizade.

“O grande legado dos JUT é a socialização entre os alunos, ou seja, a amizade conquistada e a aproximação entre os cursos. Tendo o esporte como pano de fundo, criamos essa interação dentro da universidade como uma família”, declara o docente.

Segundo a pró-reitora acadêmica da instituição, Silvia Cristina de Souza, o evento é muito importante no calendário acadêmico do UniToledo, pois congrega atividades esportivas e de integração, principal objetivo do evento, onde os acadêmicos têm a oportunidade de estreitar laços com colegas de seu curso, visto que as equipes que participam das modalidades mesclam alunos de vários períodos do mesmo curso, além do contato com outras áreas.

“Há um espírito de união e solidariedade, fruto da iniciativa dos próprios acadêmicos, que utilizam o período dos jogos para promover ações solidárias e de impacto social, como doação de sangue, arrecadação e distribuição de alimentos e agasalhos e visitas a entidades sociais”, explica. “Tais ações resultam da materialização da ideia de equipe, tão presente nas disputas desportivas, e que toma outra dimensão com as atividades sociais realizadas, algo que nos orgulha muito”.

Isoladas ou em parcerias, as ações realizadas não destinam pontos extras aos cursos na competição, o que mostra mais uma vez o espírito voluntarioso da comunidade acadêmica da instituição.

“Sem dúvida as parcerias com os outros cursos estão sendo um dos melhores resultados que estamos tendo com os JUT”, revelou Mariana Sversuth, do 7º semestre de Arquitetura e Urbanismo. No ano passado, o curso foi pioneiro na iniciativa de unir-se por um bem maior, arrecadando alimentos e até mesmo dinheiro para doações. “Saber que a sementinha do bem que plantamos está dando frutos é extremamente gratificante”.

AÇÕES
Os alunos do curso de Engenharia Civil estão realizando a coleta de bolachas de maisena e água e sal, além de óleo de soja, para os Hospitais do Câncer de Jales e Barretos. Em conjunto com os alunos de Arquitetura e Urbanismo e Educação Física, também estão organizando a realização de uma campanha de doação de sangue.

Sempre envolvidos, os acadêmicos de Arquitetura também estão à frente da arrecadação de leite, em parceria com o curso de Administração e Educação Física, em prol do grupo solidário Gerônimo Mendonça. Além disso, em vários pontos da instituição há caixas para a coleta de agasalhos e cobertores em bom estado, ideia que surgiu unindo forças com o curso de Nutrição.

Preocupados com as entidades assistenciais de apoio aos idosos, as turmas de Nutrição e Biomedicina estão trabalhando na arrecadação de fraldas e material de higiene. Já os cursos de Jornalismo, Direito e Ciências Contábeis estão trabalhando individualmente no recolhimento de alimentos não perecíveis com o intuito de ajudar entidades assistenciais de Araçatuba que serão escolhidas posteriormente.

Sempre criativos, nem só de doações materiais preenchem nossas necessidades. A turma de Publicidade Propaganda doará “abraços” e muito carinho para quem precisar de um ombro amigo e alguns segundos de calor humano.

“Aproveitar o JUT pra ajudar pessoas é importante porque podemos unir muitas pessoas pra fazer um pouco de diferença em um mundo que muitas vezes não conseguimos enxergar a possibilidade de uma boa mudança”, define a aluna Lorena de Almeida do 5º semestre de Direito.

Edição: Barbara Franchesca do Nascimento