Conhecimento que ultrapassa fronteiras: grupo de alunos do curso de Direito do UniToledo participam de evento internacional no Uruguai

Barbara Franchesca Nascimento

Uma experiência ímpar e enriquecedora. Assim serão os próximos dias para 13 alunos dos 5º e 9º semestres do curso de Direito do UniToledo que, acompanhados pelo professor Luciano Meneguetti, tiveram trabalhos aprovados e os apresentarão no VII Colóquio Latino-americano e Caribenho de Educação em Direitos Humanos, realizado na cidade de Montevidéu, no Uruguai. Os artigos produzidos ainda farão parte de coletânea lançada no encontro.

Uma experiência ímpar e enriquecedora. Assim serão os próximos dias para 13 alunos dos 5º e 9º semestres do curso de Direito do UniToledo que, acompanhados pelo professor Luciano Meneguetti, tiveram trabalhos aprovados e os apresentarão no VII Colóquio Latino-americano e Caribenho de Educação em Direitos Humanos, realizado na cidade de Montevidéu, no Uruguai. Os artigos produzidos ainda farão parte de coletânea lançada no encontro.

Uma experiência ímpar e enriquecedora. Assim serão os próximos dias para 13 alunos dos 5º e 9º semestres do curso de Direito do UniToledo que, acompanhados pelo professor Luciano Meneguetti, tiveram trabalhos aprovados e os apresentarão no VII Colóquio Latino-americano e Caribenho de Educação em Direitos Humanos, realizado na cidade de Montevidéu, no Uruguai. Os artigos produzidos ainda farão parte de coletânea lançada no encontro.

O evento internacional ocorre a cada dois anos em diferentes cidades de países da América Latina e do Caribe. A 7ª edição tem início nesta quinta-feira (14) e termina no sábado (16) com o objetivo de discutir e debater a educação em direitos humanos na América Latina e no Caribe.

Orientador de todos os trabalhos aprovados para exposição no evento, Luciano explica que a importância do evento consiste no fato de que a educação em direitos humanos é ferramenta fundamental para promover sociedades mais justas, sensíveis à presença de outros e pronta para assumir a luta pela inclusão, igualdade e reconhecimento, aspectos centrais para o aprofundamento e consolidação das democracias na América Latina e no Caribe.

“A educação em direitos humanos discutida no evento não é aquela mera transmissora de informações, mas requer aprendizagens significativas, mudanças nas atitudes das pessoas, especialmente, em face de abusos de poder e situações que comprometem a dignidade humana”, ressalta o professor.

TRABALHOS

Docente da disciplina de Direitos Humanos no curso de Direito do UniToledo e nas ações de extensão, Luciano detalha que os temas dos trabalhos de 17 alunos aprovados no evento foram desenvolvidos a partir da temática proposta pelo Colóquio e das discussões trazidas para debate na sala de aula.

A necessidade da educação em direitos humanos em vários contextos brasileiros é tema central de todas as pesquisas e abordam assuntos específicos como a educação em direitos humanos para o combate do trabalho escravo; prevenir e combater o tráfico de pessoas para fins de exploração sexual; evitar as tragédias que acontecem no âmbito do sistema penitenciário/prisional do Brasil; impedir e combater a violência de gênero; o discurso de ódio, principalmente, nas mídias sociais; proteção dos refugiados e imigrantes; dos indígenas; das crianças moradoras de rua e a promoção de ações afirmativas, entre outros.

“O foco dos trabalhos também está voltado para a proposta do Centro Universitário Toledo no âmbito do processo de ensino-aprendizagem: qualidade, inovação e humanização”, ressalta Luciano.

APRENDIZADOS

No evento, os alunos terão contato com palestras ministradas por pesquisadores internacionais, com amplo conhecimento e experiência sobre a temática e participarão de mesas e grupos temáticos, por meio dos quais terão a oportunidade de apresentar os trabalhos e também ouvir e aprender com as produções de outros colegas, professores e alunos de outras instituições espalhadas pela América Latina. O resultado será o contato com problemas, desafios, técnicas, estratégias, soluções e uma rica troca de experiências a partir da diversidade cultural, própria dos povos latino-americanos e do rico intercâmbio de conhecimento de acordo com Luciano.

“A ideia é voltar a mente e o coração dos alunos para os problemas que envolvem o próximo, desenvolvendo espírito de altruísmo, solidariedade e amor ao próximo, sentimentos que devem permear a vida de todos e, notadamente, a vida profissional de cada um”, pontua.

VIVÊNCIA ÚNICA

O jurista classifica a participação como experiência ímpar e enriquecedora, que contribui não apenas para a formação técnica, mas, sobretudo, para o desenvolvimento da pessoa como ser humano capaz de sentir e se preocupar com o próximo, habilidades proporcionadas a partir do contato com outras culturas, saberes e a troca de aprendizados com pessoas profundamente conhecedoras dos assuntos a serem discutidos e presentes no evento.

Luciano ainda assegura que o Colóquio complementará o trabalho feito na instituição, ao buscar a formação de uma cultura de respeito à dignidade humana por meio da promoção e da vivência dos valores da liberdade, da justiça, da igualdade, da solidariedade, da cooperação, da tolerância e da paz, objetivos centrais do curso de Direito do UniToledo.

“Não há dúvidas de que o encontro também será importante para o futuro profissional dos alunos no sentido de agregar ao currículo. Além de toda experiência e saberes obtidos, a participação num evento internacional, comprovada por meio de certificação fornecida pela organização e a publicação de um artigo em livro coletivo, conta muito para quem deseja prosseguir com a carreira acadêmica e ingressar num mestrado e doutorado”, finaliza.

Edição: Barbara Franchesca Nascimento