Experiência única e inspiradora: alunos de Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo do UniToledo participam de viagem técnica ao Chile

Álbum Pessoal

Edson Luiz Baruffi Júnior, Alan Alves Barros e Larissa Tiemi Inagaki Sato foram os contemplados com a experiência única de conhecer práticas sustentáveis de construção no Chile

Edson Baruffi Júnior, Alan Alves Barros e Larissa Inagaki Sato foram os contemplados com a experiência única de conhecer práticas sustentáveis de construção no Chile

site 3 - Chile site 2 - Chile site 4 - Chile site 5 - Chile

Alunos participaram de um programa de estudos voltado ao aprendizado de técnicas e práticas sustentáveis

Alunos participaram de um programa de estudos voltado ao aprendizado de técnicas e práticas sustentáveis

“Conhecer a cultura de outro povo é um exercício valioso porque nos ajuda a reconstruir a visão de como tudo funciona. A experiência de um intercâmbio é única”. Assim descreve Alan Alves Barros, acadêmico do 10º semestre do curso de Engenharia Civil do UniToledo, que, juntamente com Edson Luiz Baruffi Júnior, também do 10º semestre de Engenharia Civil, e Larissa Tiemi Inagaki Sato, do 10º de Arquitetura e Urbanismo, viajaram para o Chile, onde participaram de um programa de estudos voltado ao aprendizado de técnicas e práticas sustentáveis.

Um dos objetivos foi o de conhecer o escritório e as obras do influente arquiteto chileno Martin Hurtado. “Conversamos em uma palestra com ele. Fizemos tour por bairros históricos, como o Yungay, e também por prédios renomados, entre eles, o Centro de Innovación Anacleto Angelini”, detalha Alan.

O aluno ainda conta que todos também conheceram alguns projetos em que a utilização da madeira é o elemento estrutural. São eles: os centros culturais Matucana 100 e Centro Nave, o Campus San Joaquim, o packing de fruta orgânica Greenvic e as vinícolas Vinã Vik, Perez Cruz e Almaviva, além de santuários e alguns passeios em frente a prédios e museus.

“Foi uma viagem maravilhosa e de grande importância, pois pude conhecer a cultura chilena, assim como suas técnicas na utilização de madeiras para fins estruturais e arquitetônicos, proporcionando-me maior variedade de escolhas na execução de projetos futuros”, destaca o acadêmico Edson Luiz.

Larissa afirma que a viagem ao Chile foi a excelente oportunidade de vivenciar uma experiência, além de estudantil, cultural, em que todos puderam conhecer um pouco da cultura chilena, em especial, as vinícolas, tradicionalmente passadas de geração para geração.

“Foi uma viagem produtiva, pois nos juntamos a um grupo que tinha desde arquitetos, engenheiros e designers. Partindo para o social, criamos amizades, trocamos experiências, informações e conhecimentos”, ressalta a futura arquiteta.

A aluna ainda destaca que o mais bacana foi a honra de terem um guia que reside em Santiago, o arquiteto Diego Baloian, que os acompanhou em todos os passeios, agregando informações diversas, desde informativos técnicos, culturais e construtivos.

DESTAQUES E APRENDIZADOS
Edson ressalta ser difícil indicar qual local mais gostou, pois todos transmitiram conhecimentos únicos. Porém, ao optar por um, o aluno fica com a visita ao escritório de Martin Hurtado. “Aprendi que projetar vai além de obter bela aparência arquitetônica. É necessário harmonizar o lado arquitetônico com o estrutural, tornando-o compatível com a natureza ao redor, atendendo ainda as necessidades do que virá a usufruir do campo físico construído”.

Outro fator que chamou a atenção do futuro engenheiro civil foi a trabalhabilidade proporcionada pela madeira, solucionando grande parte dos interesses arquitetônicos e estruturais ao ser utilizada de maneira correta por meio de manejo florestal e reflorestamento, sem causar impactos ambientais, visto que se trata de matéria-prima renovável.

“Essa viagem agregou grande conhecimento a respeito de como utilizar a madeira em projetos estruturais e arquitetônicos, melhorando assim o meu currículo acadêmico, o que me proporciona maior aceitação no mercado de trabalho e me agraciar com novas ideias para trabalhos futuros como profissional da área da Engenharia Civil, inovando e encarando novos desafios”.

Analisando o objetivo da viagem, Alan afirma que Santiago é uma cidade agradável com características favoráveis para o emprego da madeira como elemento construtivo. “Poder presenciar o potencial desse material e conhecer obras de projetos singulares, permitiu a observação das várias técnicas por lá utilizadas e me capacitou a absorver a metodologia de projetar dos chilenos, o que amplia o leque de ideias e possibilita o alcance de soluções e inovação na minha área”.

Para Larissa, os aprendizados foram vários. No quesito arquitetônico, foram as tipologias construtivas, funções e materiais utilizados. “Outro aspecto que me chamou muito atenção é a organização, a estrutura da cidade, desde a parte arquitetônica até a forma como a cidade funciona. É tudo muito amplo, ruas, avenidas, calçadas, parques. Tudo bem organizado e um país de elevado nível de qualidade de vida. Toda a estrutura da cidade proporciona conforto”, descreve a acadêmica.

IMPORTÂNCIA
A coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo do UniToledo, Ana Paula Cabral Sader, ressalta que, além da vivência de uma viagem internacional, com vários aprendizados, os alunos tiveram contato com arquitetos chilenos, seus projetos e visitas às suas obras construídas, sempre com o enfoque da arquitetura e construções sustentáveis.

Pedro Sérgio Hortolani Rodrigues, coordenador de Engenharia Civil do UniToledo, também destaca a vivência da engenharia em outra cultura como forma de proporcionar maior conhecimento de um método construtivo, estruturas de madeira, ainda pouco difundido no Brasil.

Edição: Barbara Franchesca Nascimento