Disseminando conhecimento: alunos das Engenharias do UniToledo têm artigo aprovado e apresentam trabalhos no XI Congresso de Iniciação Científica em Adamantina

Álbum pessoal

site 1 - cic

Os alunos Antônio Carlos Vilella Caldeira, do 6º semestre do curso de Engenharia Civil, Márcio Renan de Lima Almeida, do 10º semestre de Engenharia Elétrica, e Marco Aurélio Cassemiro dos Santos, do 6º de Engenharia Elétrica do UniToledo, tiveram artigos aceitos e apresentados no XI Congresso de Iniciação Científica da UniFai.

Os alunos Antônio Carlos Vilella Caldeira, do 6º semestre do curso de Engenharia Civil, Márcio Renan de Lima Almeida, do 10º semestre de Engenharia Elétrica, e Marco Aurélio Cassemiro dos Santos, do 6º de Engenharia Elétrica do UniToledo, tiveram artigos aceitos e apresentados no XI Congresso de Iniciação Científica da UniFai.

Os alunos Antônio Carlos Vilella Caldeira, do 6º semestre do curso de Engenharia Civil, Márcio Renan de Lima Almeida, do 10º semestre de Engenharia Elétrica, e Marco Aurélio Cassemiro dos Santos, do 6º de Engenharia Elétrica do UniToledo, tiveram artigos aceitos e apresentados no XI Congresso de Iniciação Científica da UniFai.

O evento abrange diversas áreas como Agrárias, Biológicas, Exatas e Humanas e ocorreu entre 23 e 27 de outubro na cidade de Adamantina e promoveu grande troca de informações e conhecimentos entre docentes e discentes, por meio das apresentações dos projetos via artigos científicos.

O coordenador do curso de Engenharia Elétrica do UniToledo, Wesley Pontes, conta que, de acordo com as informações, cerca de 1200 trabalhos de alto nível teórico e prático foram inscritos e os dos alunos do UniToledo estão entre eles e são resultados dos grupos de pesquisa.

MUDANDO MUNDOS

Todos os trabalhos foram orientados por Wesley e pelo professor João Zamperin. Os artigos apresentados pelo acadêmico Antônio foram: “Reutilização de resíduo da construção civil para produção de telha de concreto fotovoltaica” e “Utilização de resíduo da cinza do bagaço da cana de açúcar na substituição total de agregados miúdos em traço de argamassa de assentamento e revestimento”.

“Os meus trabalhos são referentes ao meio ambiente. Procuro amenizar as problemáticas que temos hoje em dia, criando e viabilizando nova reutilização dos resíduos, hoje, descartado de forma inadequada no meio ambiente”, conta o futuro engenheiro civil.

Intitulado “Reconhecimento de cores para deficientes visuais utilizando Arduíno”, o aluno Marcio Renan explica que a gratidão por desenvolver um projeto que ajude pessoas com necessidades especiais o motivou a se inscrever no evento.

“O fato de fazer a diferença é completamente motivador. É o segundo ano que participo, sendo que no ano passado, recebemos o prêmio de 1º colocado e menção honrosa deste título, onde criamos uma lixeira automatizada para deficientes físicos cadeirantes”, conta.

O acadêmico ainda destaca que a importância de participar de atividade como esta se dá pela disseminação de conhecimentos fora da região, podendo observar o que a Engenharia tem feito pelas pessoas e o que se pode melhorar. “Quero continuar com novos inventos e fazer a diferença no meio social”.

Marco Aurélio também apresentou dois trabalhos, “Análise da economia de energia e desperdício de água proveniente dos aquecedores solares e uma solução para o caso” e “Desenvolvimento e aplicação de um aplicativo na plataforma inventor para minimizar erros grosseiros”.

Segundo o acadêmico, o primeiro artigo propõe solução para o caso de desperdício de água do banho proveniente de aquecedores solares. “Como acompanhado nos últimos anos, um dos eventuais problemas é a grande quantidade de água limpa que é desperdiçada no país, existe mau hábito procedente dos aquecedores que aumenta ainda mais esse desperdício”, explica.

Já o segundo trabalho, tem por finalidade amenizar e evitar erros grosseiros em empresas que são causados pela ação humana, falhas como gafes, enganos, má utilização de equipamentos, entre outros, os quais causam prejuízos em empresas e até mesmo acidentes no trabalho.

“Uma possível solução baseia-se na criação de protótipos via aplicativos celulares e também para IHMs de equipamentos, com o intuito de ajudar e preparar o funcionário para seu expediente de serviço com perguntas que possam facilitar a memorização de etapas de segurança, ou seja, as corretas atitudes que a pessoa deve seguir no dia a dia de trabalho”, exemplifica o futuro engenheiro.

Edição: Barbara Franchesca Nascimento